Home / Notícias Corporativas / Home office: estudo aponta aceitação no mercado corporativo

Home office: estudo aponta aceitação no mercado corporativo

O relatório “A casa como ambiente de trabalho”, feito pelo QuintoAndar e ImovelWeb em parceria com a empresa de pesquisa Offerwise, apontou que 43% dos empregados remotos buscariam novas oportunidades de empregos se fossem obrigados a desempenhar suas funções presencialmente.

A pesquisa entrevistou 1.914 pessoas, com mais de 18 anos, por meio de um questionário on-line, entre agosto e setembro de 2023. Entre os participantes, 23% disseram trabalhar totalmente em home office e 37% no modelo híbrido, com jornada de trabalho que mescla o modo presencial e remoto.

De acordo com dados da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), os trabalhadores remotos representavam 9,5 milhões dos empregados no Brasil em 2022.

O IBRE (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV (Fundação Getúlio Vargas), que mensura dados do home office do país anualmente, aponta que o modelo foi adotado em 2022 por 49% das empresas de Indústria de Transformação, seguido por 40% do setor de Serviços, 33% do setor Empresarial, 13% do Varejo Ampliado e 10% do setor de Construção.

O diretor-executivo da CPA Prime Contabilidade Ricardo Marquart ressalta que ao optar pelo modelo de trabalho, é importante analisar além da economia de tempo. “É preciso levar em conta também a real produtividade ao trabalhar em home office, pois este formato de trabalho exige mais foco e organização”.

Marquart reforça ainda a opção de trabalho híbrido como uma tendência consolidada por se adequar às necessidades de cada empresa, principalmente aquelas que necessitam realizar visitas periódicas de clientes e ter um melhor controle dos processos ou de convivência entre funcionários.

Trabalho remoto e empresas contábeis

Sobre o trabalho remoto para empresas de contabilidade, o especialista reforça que entre os desafios estão a estrutura para o funcionário desempenhar suas atividades, como computadores e internet, o controle das demandas, além do foco e organização dos contadores. 

Já entre as vantagens, se destacam a tecnologia, “como estrutura de sistemas totalmente em nuvem” e a possibilidade de automação de tarefas, “que facilita o acesso de colaboradores e clientes às informações e documentos”. Isso faz, segundo ele, “com que empresas de contabilidade consigam manter uma rotina de trabalho remoto sem prejuízos em comparação ao modelo presencial”.

Empresas de contabilidade, neste sentido, conseguiram manter o funcionamento remoto mesmo após a pandemia, de acordo com a pesquisa Home Office 2022 da SOBRATT (Sociedade Brasileira de Teletrabalho), que mostrou que  82% dos escritórios de contabilidade entrevistados adotaram o home office de maneira estruturada, com base em uma política estabelecida.

Para saber mais, basta acessar: www.cpaprimecontabilidade.com.br

About DINO

Check Also

STF amplia licença-maternidade para trabalhadoras autônomas

Uma nova decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) ampliou, por seis votos a cinco, o …