Home / Notícias Corporativas / Falta de dedetização e desentupimento podem gerar problemas de saúde?

Falta de dedetização e desentupimento podem gerar problemas de saúde?

Com uma série de demandas do dia a dia, alguns elementos que fazem parte do dia a dia  dos moradores de uma residência podem ser negligenciados. Exemplo disso, a falta de dedetização e desentupimento regular em uma casa pode passar despercebida e, com isso, desencadear problemas de saúde para seus habitantes.

A afirmação é de Gleison Pinheiro, diretor à frente da Socorro Desentupidora e Delta Dedetização, empresas que prestam serviços de dedetizadora e desentupidora de esgoto em São Paulo. Segundo o especialista, a falta de dedetização regular pode desencadear diversos problemas de saúde para os moradores de uma residência.

Pinheiro explica que a dedetização preventiva é fundamental para manter ambientes saudáveis e livres de pragas urbanas. “Quando estamos no verão, costumamos ver mais pragas, pois é uma estação que favorece seu ciclo de reprodução. Temos um aumento na população de baratas, formigas, mosquitos, cupins e outros insetos”, afirma. O verão, marcado por dias quentes e úmidos, oferece as condições ideais para o voo nupcial dos cupins, que em grande parte do Brasil pode ocorrer entre os meses de outubro e dezembro.

Há cerca de vinte espécies de baratas domésticas no mundo que, assim como os cupins, ganham território nos meses mais quentes e úmidos. No Brasil, as mais recorrentes são as francesinhas, ou “baratas de esgoto”, que carregam em seus corpos bactérias, protozoários, fungos e vírus. Por isso, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), essas pragas podem agir como vetores de doenças causadas por bactérias, como a furunculose, lepra, tuberculose, poliomielite e diarréia. 

Outro fator preocupante citado por Pinheiro diz respeito à ausência de desentupimento. “Existem vários riscos em não realizar a limpeza de fossas e desentupimento, que podem gerar graves problemas de encanamento, além de danos à saúde e ao meio ambiente”, diz. 

O Brasil registrou a marca de 273.224 internações por conta de doenças de veiculação hídrica nos hospitais da rede pública apenas em 2019, segundo o Datasus (Sistema Único de Saúde). No mesmo ano, 2.733 pessoas morreram em razão de doenças de veiculação hídrica no Brasil. 

Quanto à questão socioambiental, a falta de desentupimento na Zona Norte periódico de esgoto também é preocupante, considerando dados de um balanço da ONG SOS Mata Atlântica. Segundo a análise, a água já é ruim ou péssima em 40% dos 96 rios, córregos e lagos avaliados em sete estados brasileiros. Além disso, dos 278 pontos de coleta de água monitorados, apenas 18 (6,5%) apresentam qualidade boa, sendo que nenhum reservatório alcançou o status de ótimo.

Por outro lado, prossegue Pinheiro, a limpeza regular garante o funcionamento correto dos encanamentos, mantendo a limpeza e a higiene da casa e do quintal.

“Uma simples obstrução no local, quando não tratada corretamente, pode causar um transtorno grave em uma residência. Por isso, é importante contar com o apoio de um profissional ou empresa que realize ações corretivas e, sobretudo, preventivas”, recomenda.

Hidrojateamento 

Pinheiro conta que as técnicas de desentupimento avançaram nos últimos anos. Entre os principais avanços da área, ele cita o hidrojateamento, técnica que consiste na limpeza de redes de esgoto sanitário e pluvial, caixas de gordura, Limpeza de Fossas e tubulações industriais, entre outros locais, por meio de jateamento com água.

“Este serviço [hidrojateamento] é feito com caminhão ou estação fixa de trabalho equipado com reservatório de água, sendo alta pressão ou vazão, dependendo do tipo de obstrução”, descreve. “Para atuar com esta técnica, os técnicos qualificados para execução dos serviços utilizam acessórios, EPIs (Equipamento de Proteção Individual)”, complementa.

Máquina rotativa

Outro aparato citado por Pinheiro é a chamada “máquina rotativa”, também conhecida como “máquina roto rooter”. A faz o desentupimento por meio de movimentos giratórios de um cabo inserido na tubulação, fazendo com que os dejetos que estejam dificultando o bom funcionamento do encanamento se desprendam das paredes.

“Na ponta destes cabos, existem lâminas, que podem ter diversas formas e tamanhos. Estas lâminas são capazes de cortar o que estiver causando o entupimento ou se enroscar nele para que seja puxado para fora”, detalha.

Controle químico e biológico

De acordo com o diretor à frente da Socorro Desentupidora SP e da Delta Dedetização, as técnicas de dedetização se dividem basicamente em dois grupos. Um deles é o controle químico, que inclui aspersão, atomização, termonebulização e iscagem, entre outros.

“O outro é o controle biológico, feito com armadilhas adesivas com atrativo alimentar ou sexual, armadilhas luminosas para insetos voadores e inibidores de crescimento, entre outros”, complementa Pinheiro.

Para mais informações, basta acessar: https://www.desentupidorprofissional.com.br/ ou https://deltadedetizacao.com.br/

About DINO

Check Also

Toxina botulínica pode prevenir envelhecimento do pescoço

Uma análise feita por pesquisadoras do Centro de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Oswaldo Cruz concluiu …