Home / Notícias Corporativas / Competição estudantil amplia inclusão com esporte adaptado

Competição estudantil amplia inclusão com esporte adaptado

O esporte de base é uma ferramenta poderosa de inclusão social e também de resultados que se materializam em medalhas. O esporte adaptado surgiu no país em 1958, com a fundação de dois clubes esportivos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em pouco mais de 60 anos, o país se tornou uma das potências paralímpicas.

Nos Jogos de Tóquio, os paratletas brasileiros conquistaram 72 pódios, igualando a quantidade da Paralimpíada anterior (Rio-2016), mas com um novo recorde de medalhas de ouro, com 22. Em comparação aos esportes convencionais, o desempenho chama mais a atenção. Na Olimpíada do Japão, foram 21 medalhas (sete de ouro). Isso significa que os paratletas ganharam 51 a mais.

Assim como em qualquer esporte, para que o paradesporto cresça e se desenvolva, é preciso investir na base. Na Liga Esportiva NESCAU isso é levado muito a sério. O evento é reconhecido como primeiro campeonato estudantil a realizar as competições convencionais e adaptadas em um mesmo espaço e oferecer a oportunidade de convivência entre as crianças sem e com deficiência. 

São seis modalidades adaptadas: atletismo velocidade, atletismo arremesso, atletismo salto em distância, natação, tênis de mesa e skate. Participam crianças e jovens de 7 a 17 anos, em uma categoria única, não havendo diferença de gênero, pois as disputas serão mistas. 

A inclusão também será sentida depois das competições. Isso porque todos receberão medalhas de participação. As provas seguirão as regras oficiais da World Para Athletics, sendo que, sempre que possível, haverá subdivisões para agrupar pessoas com mesmas características em subcategorias.

Modalidades – O atletismo adaptado será disputado nas provas de 50 metros, 75 metros, 100 metros, arremesso de peso e salto em distância. Na natação, todas as provas do programa serão na distância de 25 metros e no estilo livre. No tênis de mesa, os jogos serão individuais e realizados em um set de 18 pontos. O estilo street vai dominar o paraskate da Liga Esportiva NESCAU. Cada skatista terá 1 minuto para a apresentação.

Em conjunto ao paradesporto, a Liga terá 11 modalidades convencionais. São elas, atletismo velocidade, atletismo arremesso, atletismo salto em distância, basquete, futsal, ginástica, handebol, natação, skate, tênis de mesa e vôlei.

“O esporte ensina e traz valores que as crianças levarão para a vida toda. E promover a inclusão é um desses valores. Por isso, incentivamos essa integração a cada edição da Liga Esportiva NESCAU, a qual mostra que todos podemos ser inseridos nos mais diversos ambientes e situações. E o bacana é sentir como as crianças encaram tudo com naturalidade”, afirma Mariana Santos, Gerente de Marketing de NESCAU.

About DINO

Check Also

Brasil recebe US$ 6,9 bilhões em turismo internacional

Os números revelados pelo Banco Central destacam um marco significativo para a economia brasileira em …