Home / Notícias Corporativas / Para especialista, inverno reforça a combinação de queijos e vinhos

Para especialista, inverno reforça a combinação de queijos e vinhos

Com a chegada do inverno no dia 21 de junho, os hábitos de consumo alimentares da sociedade tendem a mudar focando mais em produtos específicos da época do ano, como caldos, sopas, queijos e vinhos.

Em 2020, por exemplo, a venda de vinhos aumentou 30% em relação ao ano anterior, segundo dados concedidos ao G1 pelo Ideal Consulting, empresa especializada na medição de comércios.  

Analisando esse cenário, para Fernanda Kambilis, gerente da Banca do Ramon, e-commerce especializado no ramo de alimentos e bebidas, essa época do ano reforça o consumo de tais produtos uma vez que os meses de inverno desencadeiam mudanças biológicas que estimulam a fome e aumentam os desejos por alimentos mais calóricos.

“Alguns pesquisadores acreditam que o clima frio pode desencadear uma relíquia evolutiva nos seres humanos para engordar e sobreviver a condições ambientais difíceis, como muitos outros animais fazem”, explica. 

Por isso, para ela, uma das melhores combinações para se consumir na estação é vinho e queijo. “O lado positivo desses produtos é que há uma grande variedade de sabores disponíveis no mercado, por isso, as harmonizações podem ser a mais variadas atingindo todos os paladares”. 

Para exemplificar esse cenário, Kambilis traz alguma das harmonizações mais clássicas:  

queijo parmesão com vinho Cabernet Sauvignon. “Sem dúvidas essa combinação é a que mais vende, pois são perfeitos para sustentar o sabor pronunciado e o alto teor de gordura, entretanto, quando se fala em parmesão, ainda é possível pensar em vinhos brancos como Pinot Grigio ou Sauvignon Blanc”, afirma.

Já para queijos maturados ou semi-maturados como Suíço e Cheddar, Kambilis realça que o ideal são vinhos de médio corpo e levemente frutados como Merlot ou Pinot Noir. “Os queijos azuis, no entanto, acompanham melhor vinhos de colheita tardia e fortificados, tais como Riesling para Roquefort e Gorgonzola. Porém, se ainda preferir os tintos, o ideal é Merlot ou Shiraz”.

Para os queijos frescos, os vinhos leves, frescos, frutados e com acidez mais elevada são sempre a melhor opção. “Para o Brie, por exemplo, o Chardonnay é o mais indicado, assim como para o Camembert também. Já para Muçarela, o ideal é contar com Sauvignon Blanc”, explica.

Finalizando com os queijos duros e semiduros como Gryère, Gouda e Provolone, Kambilis traz a indicação de vinhos mais encorpados e menor acidez, como Malbec (tinto) e Sauvignon Blanc (branco). “O queijo Gouda pode contar mais com Merlot mas ainda vai bem com o Malbec, já o Provolone, com seu sabor forte, harmoniza bem com Shiraz e Pinot Noir”. 

Para saber mais, baste acessar: https://www.bancadoramon.com.br/

About DINO

Check Also

Prod entra para o ranking de Melhores Empresas de Minas Gerais mais uma vez

No último dia 13 de junho, a Prod, agência de soluções digitais, entrou para o …