Home / Notícias Corporativas / Elevada, taxa de desemprego permanece estável no país

Elevada, taxa de desemprego permanece estável no país

Os números mais recentes da PNAD Contínua, que apresenta resultados trimestrais sobre diversos indicadores da população brasileira, mostraram que o desemprego no país se manteve estável em relação ao período anterior da pesquisa. A taxa de desocupação nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2022 foi de 11,1%, a mesma observada nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2021.

Os dados mostraram ainda que o número de pessoas empregadas com carteira assinada aumentou em 3.359 em relação ao mesmo período do ano anterior, chegando a 34.875 pessoas com trabalhos formais. 

Em relação a trabalhadores informais, sem carteira assinada, a pesquisa estimou que cerca de 1.973 pessoas passaram a trabalhar no primeiro trimestre de 2022. Chegando ao número de 12.216 pessoas com trabalho informal. 

De acordo com o treinador de líderes Denis Macedo, produtor do curso Vida de Instagram, a taxa de desemprego aumentou devido à crise econômica proporcionada pela pandemia da covid-19. “Além da crise instalada no país entre 2020 e 2021, houve também a perda gradual de algumas profissões, o que pode ter contribuído para os drásticos números de desemprego no Brasil nesse período”, comenta. 

Macedo comenta ainda que o primeiro trimestre de 2022 demonstrou uma estabilidade em relação ao desemprego. “Como pode-se notar, por meio dos dados, o primeiro trimestre do ano trouxe expectativas positivas para o trabalhador brasileiro. Mais pessoas estão realizando atividades remuneradas, seja com carteira assinada ou não”, complementa. 

Denis Macedo conta que “é preciso estar atualizado quanto às oportunidades disponíveis no mercado de trabalho, para isso, cursos on-lines podem ajudar no aperfeiçoamento da carreira”. 

O Censo EAD de 2020, realizado pela Associação Brasileira de Educação à Distância (ABED), apontou que neste período, de 86 instituições respondentes, 48,84% ofertaram cursos livres não corporativos e 26,74% ofereceram cursos livres corporativos. Além disso, 75,58% disponibilizaram cursos presenciais ou híbridos. 

Para Macedo, a oferta de cursos livres on-line, híbridos ou presenciais, podem auxiliar o profissional a obter uma base extra de conhecimento. “Quem se viu em situação de desemprego durante a pandemia precisou buscar formas de tentar a recolocação em meio a muita competitividade. Logo, a busca por mais capacitação foi a opção de muita gente que queria uma forma de se destacar no mercado”. 

A pesquisa da PNAD Contínua estima que ainda há no país cerca de 11.949 pessoas sem emprego, sendo menos 21,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Conseguimos enxergar uma diminuição, mesmo que pouca, no número de pessoas desempregadas no país e sabemos que as formas de se profissionalizar e obter renda estão mais acessíveis, principalmente com o uso da internet”, finaliza o treinador de líderes.

Para mais informações, basta acessar: https://www.instagram.com/treinadordelideres/

About DINO

Check Also

Ceratocone é uma das grandes causas de transplante de córnea em âmbito mundial

Segundo dados da Associação Brasileira de Transplante dos Órgãos, pelo portal Metrópoles, dos mais de …