Home /

Desempregado: o melhor funcionário do mundo

Neste material, o especialista Erik Penna leva à reflexão sobre qual é o melhor funcionário do mundo e por quê.

dino

05/11/2019 –

O Brasil criou 157.213 vagas com carteira assinada em setembro de 2019, o sexto resultado mensal positivo e o melhor número para um mês desde 2013. Esses dados são do CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. O índice mostra ainda que, nos últimos 12 meses, o saldo foi de 548.297 novos postos de trabalhos.

Os números apontam alento, esperança e uma nova oportunidade para mais de meio milhão de pessoas, que conquistaram uma nova oportunidade de trabalhar, ganhar o seu sustento e pagar as contas.

Mas será que as empresas contrataram corretamente? Dados do site RH Central mostram que as empresas brasileiras contratam pela habilidade e demitem pela atitude. Além disso, 87% das demissões são causadas pelo comportamento inadequado.

Para as empresas, o caminho é: contrate pela atitude, depois treine as habilidades. Já para os colaboradores a questão é: será que é mais difícil conquistar a vaga de emprego ou se manter nela?

Aliás, a resposta para a reflexão sobre qual é o melhor funcionário é: o desempregado. E por quê? Numa entrevista de emprego, por exemplo, o desempregado geralmente chega extremamente motivado, cheio de boa vontade, disposto a trabalhar em diversas funções, dias e horários, diz-se comprometido com as metas e valores da empresa, costuma achar o salário bom, não apresenta impeditivos para a sua melhor performance e aponta essa oportunidade como o melhor trabalho de sua vida. O entrevistador gosta e contrata.

Mas, ao entrevistar esse colaborador depois de 6 meses, o empregador perceberá que a motivação e disposição não estão no mesmo índice entusiasta do início, pois ele já descobriu pontos negativos nessa relação empregado-empregador e o seu comportamento e resultados começam a declinar. E o empregador se pergunta: onde está aquela pessoa da entrevista?

Na verdade, aquela pessoa não existe mais, afinal, durante a entrevista ele era o desempregado e agora ele é o empregado.

Desta forma, como dois elementos encaram tão diferentemente esta mesma data?

É possível imaginar o quanto uma pessoa desempregada espera pela segunda-feira! Muitas vezes, o profissional passa o domingo procurando vagas nos jornais ou pela internet e se enche de esperança quando encontra uma oportunidade.

Se a entrevista está agendada para segunda-feira, ele acorda bem cedo, se arruma com todo capricho e cuidado, coloca a melhor roupa, se enche de entusiasmo e parte para a seleção com muita motivação, proatividade e vontade de vencer. Geralmente, mentaliza fatos positivos e promete que, se a vaga lhe for concedida, fará jus à confiança e dará o melhor de si para as expectativas do contratante. Esse otimismo e performance ocorrem normalmente com quem sai de casa na segunda-feira, aposta tudo nesse dia e espera ser contratado.

Por outro lado, muitos líderes reclamam de funcionários que já chegam na segunda-feira de manhã desmotivados, cansados, com cara de poucos amigos e alguns contrariados pelo fato de ter que abrir mão de um programa no domingo à noite para poder chegar tão cedo na segunda-feira para trabalhar.

Segundo estudos do IPOM – Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente, de cada dez profissionais consultados, sete não estão satisfeitos com a sua carreira ou emprego.

O ser humano costuma mesmo ter essa característica de ser um ótimo conquistador e um péssimo amante, ou seja, valoriza grandiosamente o que ainda não possui e, depois da conquista, parece que menospreza, não valoriza ou não cuida com o mesmo apreço de antes.

*Erik Penna é palestrante, especialista em vendas e motivação, autor de 5 livros e mais de 1.000 palestras realizadas. É possível saber mais sobre motivação e vendas em: www.erikpenna.com.br.

Sobre o palestrante de vendas e motivação Erik Penna

É palestrante de vendas e motivação, especialista em vendas com qualificação internacional e consultor. Possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduação em Administração e Marketing pela Universidade Paulista e graduação em Economia pela Universidade de Taubaté.

Aborda nas palestras ensinamentos baseados nas experiências vivenciadas por ele durante a sua carreira como executivo de vendas, professor, escritor, motivador de equipes e gestor corporativo. É autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10”, “21 soluções para potencializar seu negócio”, “Atendimento Mágico – Como Encantar e Surpreender Clientes”, “O Dom de Motivar na Arte de Educar” e coautor dos livros “Gigantes das Vendas” e “Gigantes da Motivação”.

Sobre o palestrante de vendas e motivação Erik Penna

Ministra palestras de vendas e motivação, realiza consultoria, possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduação em Administração e Marketing pela Universidade Paulista e graduação em Economia pela Universidade de Taubaté.

Aborda nas palestras ensinamentos baseados nas experiências vivenciadas por ele durante a sua carreira como executivo de vendas, professor, escritor, motivador de equipes e gestor corporativo. É autor dos livros “A Divertida Arte de Vender”, “Motivação Nota 10”, “21 soluções para potencializar seu negócio”, “Atendimento Mágico – Como Encantar e Surpreender Clientes”, “O Dom de Motivar na Arte de Educar” e coautor dos livros “Gigantes das Vendas” e “Gigantes da Motivação”.

Site: www.erikpenna.com.br

Atendimento à imprensa

Patrícia Arantes – RZT Comunicação
www.rztcomunicacao.com.br
patricia@rztcomunicacao.com.br
Fones: (11) 5051-8142 / 99873-6008

Website: http://www.erikpenna.com.br